4 de abr de 2015

Das sensações e sentimentos...


Por algumas vezes me pego em questionamentos que mexem com minha convicção dentro do SM.

Sou muito segura de meus prazeres. Gosto que me enrosco de algumas práticas físicas e nem se fala, sobre as psicológicas, principalmente, as de cunho emocional como , por exemplo o exercício de minha submissão dentro de uma D/s.

Analogicamente, vejo-me como uma musicista completamente entregue a todos os sentidos intensos de alguns acordes, como: a vibração das cordas, o dedilhar dos prendedores, as oscilações do spanking... nosssaaa... as sensações das velas é extasiante! 
E nesse jogo de agudos e graves, o sentir-me posse ultrapassa toda gama de emoções cabíveis nesse tipo de relação.



Muito bem, mas minha dúvida é sobre o prazer do Dominador (especificamente de um Dominante)?! Será que é tão lascivo, tão profundo, no aspecto emocional também !?!? Ou, o que está intrinsecamente nele, se restringe apenas ao prazer carnal, ou seja, estritamente o prazer sexual?

Óbvio que meu questionamento leva em conta a posição ocupada por cada um dentro desse tipo de jogo. Talvez até a variação das próprias essências.

Mas até que ponto sentem prazer na realização de práticas físicas. Pois , na maioria das vezes, amarram, tocam, batem, machucam, castigam, exploram o corpo da submissa de uma maneira muito intensa.


Meu pensamento também questiona o prazer psicológico de domínio sobre a outra pessoa.

No fim seria Ele , o Dominador, apenas um coadjuvante sexual de toda essa melodia. Ou reinaria soberano como um galante Maestro, dando conta da orquestra toda, a junção dos prazeres carnal e emocional???

ternura


7 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

Muito bom o assunto, ternura!
Sabemos perfietamente o que nos provoca cada prática, cada comando, mexe com todos os sentidos, tanto no lado físico quanto com o emocional.
E com eles, como será?
Tenho a impressão que sim! Acredito que dominar alguém e ver suas ordens serem obedecidas, sentir a entrega do corpo e da alma para as práticas, a presteza e a delicadeza dos gestos da submissa em favor da sua felicidade deve mexer sim com os sentimentos do Dom... ficar só nas sensações físicas deve ser no mínimo frustrante.
Mas seria ótimo que os senhores esclarecessem isso para nós, não é?
Enfim, gostei do questionamento, algo para se pensar, pensar, pensar...
Beijos

belit_LA disse...


Excelente texto!

sabrina sub disse...

muito bom o texto,sempre aprendendo muito aqui,tbm queria muito saber o que eles pensam.beijos

William disse...

Boa noite.
Não costumo comentar mas vejo que as meninas carecem de uma opinião masculina e só posso falar por mim mas no meu caso a metáfora do maestro se aplica bem, ternura.
Sou um regente atuante desta bela orquestra e a sinto com todos os sentidos.
Obviamente tenho reações físicas e emocionais quando em uma sessão ou situação de comando.
É belo ver uma submissa se entregando ao meu sadismo ou obedecendo a algum comando meu com entrega total.
Isso dá uma sensação de poder que é difícil explicar e nesse momento torna-se impossível não sentir um carinho imenso pela pessoa que me deu esse prazer, mesmo que ela esteja sangrando pelo meu prazer sádico.
O questionamento é muito válido e espero sinceramente que mais dons animem-se a vir comentar.
Forte abraço a todas.

RobertoDom disse...

Boa Noite
Minha querida ternura

Li o seu texto e na minha modesta visão vejo o Dominante como o maestro da orquestra,o dominador tem que estar envolvido sim tanto físico como emocionalmente nessa relação. Fazendo uma comparação do Maestro seus músicos se não houver uma união e um comando a orquestra tende a desafinar.Se o dominante não estiver envolvido ele não poderá extrair o melhor da
sua posse na minha visão será uma
dominação artificial sem emoção quase um robô com gestos e atitudes repetitivas.


Perséfone Core disse...

Eu acredito ternurinha, que os Dominantes também devem sentir...afinal de contas, somos humanos.

Uma relação tão intensa e crua, onde A/ambos buscam suas essências veladas e desejos mais obscuros, acho que fica praticamente impossível não sentir. Não é mesmo?

Assim penso...
Realmente seria bom ler e ouvir, rsrsrs.
=D

Beijos!!!
J_{pehr}

ternura disse...

Minhas indagações surgiram mediante esse novo cenário dentro do BDSM.

Tomando a liberdade de fazer uma analogia com o texto do Dom William Gama- A submissa verdadeira. Também vivo numa busca constante pelas verdades nas vivências sadomasos.

Aproveito o ensejo e agradeço a participação de todos e, em especial, dos Srs Willian e Roberto, que de uma maneira clara e esclarecedora doaram-nos seus pontos de vistas, a partir de suas experiências.

Com toda a certeza o txto ficou muito mais compreensível.

Obrigada @vita e equipe do @escravas e submissas pela oportunidade e pelo incentivo sempre muito acolhedor.

Saudações respeitosas e bjs nas meninas