26 de fev de 2015

A submissa verdadeira



Estamos sempre procurando pelo verdadeiro em nossas vidas.
Queremos sempre encontrar o amor verdadeiro, o amigo verdadeiro, a felicidade verdadeira e até o whisky verdadeiro, afinal, ninguém quer ter dor de cabeça no dia seguinte. Rs.
Mas tudo muda de figura quando a busca é por uma verdadeira submissa.



A expressão hoje em dia parece ser ofensa, falar em verdade na submissão faz as veias saltarem e logo aparecem textos, discussões e grandes teses defendendo a liberdade de opinião, de conceitos de verdadeiro e falso, de diferenças de personalidade e de busca.
Concordo que cada dom tem seu ideal de submissa assim como também tenho o meu. E isto é assunto pessoal.



Mas existem algumas características que são (ou deveriam ser) gerais, na minha opinião. E sei que isso vai desagradar algumas pessoas mas meu compromisso é com a verdade, mesmo que a verdade hoje em dia pareça ter virado um conceito subjetivo onde cada um tem a sua, mas não estou aqui para agradar ninguém ou para conseguir bocetinhas, isso encontro em qualquer lugar. 
Uma submissa verdadeira, não.





submissão 
sub.mis.são 
sf (lat submissione) 1 Ato ou efeito de submeter ou submeter-se. 2 Disposição a obedecer. 3 Humildade. 4 Sujeição. 5 Humilhação voluntária. 6 Obediência espontânea. Antôn (acepção 3): arrogância, altivez.

A definição de submissão é bem clara, não sobra espaço para dúvidas sobre o que é e o que não é. Em algumas coisas não existem meios termos.
Mas deixando de lado as definições, para mim, uma  verdadeira submissa deve ter prontidão para servir. É assim que a reconheço, por estar disposta, estar aberta por ser essa sua vontade e seu prazer.
Não por estar carente, por estar na moda, por esperar receber vantagens financeiras, exclusividade e mil outras exigências.
Exigências não fazem parte do comportamento submisso. 




Ela não espera por aquele que vai lhe dar o que precisa; espera por aquele a quem ELA vai querer dar o que tem necessidade de dar: sua submissão.
Sabe, que vai trabalhar para conquistar seu lugar aos pés do dono e até em seu coração. Que vai, talvez, até conseguir exclusividade, não por exigência mas por seu comprometimento.
Está aberta a testar seus limites e se algo realmente a incomoda vai colocar isso com docilidade e humildade e será compreendida.



Docilidade e humildade são essenciais. Nada mais broxante que a arrogância. 
Sabemos que a submissão vale ouro, mas não precisamos ser lembrados disso a todo momento. Se precisa lembrar a todo momento seu valor é um sinal claro que nem ela mesma acredita nisso; ou que escolheu a pessoa errada para servir.
Ser inteligente e proativa. Submissão e obediência não são sinônimos de personalidade fraca ou de pessoas robotizadas. São sinais de força.



O verbo para uma verdadeira submissa é conquistar, não exigir.
A qualidade para uma submissa é humildade, não arrogância.
A missão para uma submissa é servir, não ser servida, porque ela tem verdadeiro prazer nisso. 
Prazer. Satisfação. Realização.
Submissas verdadeiras existem? Sim, ainda acredito.
Apenas são difíceis de encontrar em meio a um oceano de pessoas buscando outras coisas que não o ato de servir. E isto é fácil identificar.
Centenas, talvez milhares, de rostinhos bonitos e corpos perfeitos mas, almas vazias para a submissão. 




Mas existem sim e isso se percebe na candura do olhar, na suavidade dos gestos, na brandura no falar, na humildade que a torna grande e na força que emana pois, em sua feminilidade ela é forte, corajosa, disposta.
É ela a submissa verdadeira.


William Gama
Dom

10 comentários:

RobertoDom disse...

Texto perfeito bem objetivo falou
bastantes verdades do que acontece
hj em dia submissas que querem ser
servidas,o texto expõe bem o que está acontecendo ultimamente onde os
papéis estão ficando invertidos

{Λїtą}_ŞT disse...

Saudações, sr William!

Mais uma vez o sr nos presenteia com um texto lúcido e que reflete uma grande realidade.
É bem verdade que muitas vozes bradam quando se usa a expressão "verdadeira submissa". Esse não é um termo bem aceito hoje em dia pq pessoas das mais diferentes vertentes querem se intitular submissas, como se isso conferisse honrarias a alguém.
Esquecem-se que, acima de tudo, submissão é humildade.
Agradeço em nome de todas nós por mais esta preciosa colaboração.

Abraços

ternura disse...

bom dia Dom William Gama, colaboradores, seguidores e visitantes !

há muito não lia um texto tão coerente e pontual. Sem subterfúgios, discorreu com exatidão a essência submissa...encantada!

tomo a liberdade de deixar um parágrafo do texto que, em minha humilde opinião, destaca com clareza meu existencialismo.

'Sabemos que a submissão vale ouro, mas não precisamos ser lembrados disso a todo momento. Se precisa lembrar a todo momento seu valor é um sinal claro que nem ela mesma acredita nisso; ou que escolheu a pessoa errada para servir.'

Parabéns pelo texto!

Saudações respeitosas

magaly_CM disse...


adorei o texto

[magaly]_CM*

isadhora disse...


Adorei o texto, coeso e inteligente.

Logo, penso que, não existe meia DOMINAÇÃO ou meia submissão.
Existem, sim, duas pessoas dispostas a viver o BDSM, umas delas manda, detém o total poder sobre a outra, conseguintemente, a outra parte , por sua vez, obedece.

Também adorei este trecho., por isso que a escolha do Dominador, a quem vai se entregar deve ser muito criteriosa. Um verdadeiro Dominador jamais se esquece deste pormenor "" submissão vale ouro""

'Sabemos que a submissão vale ouro, mas não precisamos ser lembrados disso a todo momento. Se precisa lembrar a todo momento seu valor é um sinal claro que nem ela mesma acredita nisso; ou que escolheu a pessoa errada para servir.'

Obrigada, por nos presentear com tão belo texto.

saudações
isadhora

hadara disse...


Perfeito! Obrigado Senhor

Anônimo disse...


Vou falar apenas de uma unica comparaçao que parece tao simples mas que gostei mto por se adaptar facilmente a qualquer que seja o enfoque.

Buscamos o que é verdadeiro, (o amigo verdadeiro, a felicidade verdadeira e até o whisky verdadeiro, afinal, ninguém quer ter dor de cabeça no dia seguinte) .

Ainda que a verdade esteja sujeita à forma com que cada um ve a vida, este, deverá antes conseguir entender sua propria verdade para só entao se lançar à busca... Ocorre que pelas razões mais variadas, muitas vezes buscamos orientados por verdades alheias e isso acaba nao dando certo... porém, uma vez entendido a si mesmo, a comparação com o whisky é perfeita, adorei.

lindo texto
Saudações BDSM
Carrasco Mestre*

marcosliberal disse...

Eu confesso que quero muito ser corno sou casado com uma gata morena alta magra corpo tipo modelo linda linda demais porem confesso que desejo vê-la sendo fodida por um grupo de machos safados quero vê-la sendo amarrada e sodomizada por muitos machos quero torna-la uma escrava submissa de um grupo de machos que curtam amarrar cuspir mijar e humilhar minha esposa sonho ser amarrado e assistir a tudo de camarote imobilizado sem poder reagir confesso que quero vê-la sendo forçada a beber porra quente de vários machos . resumindo confesso que desejo ver minha esposa sendo escravizada a força por um grupo de machos sujos que queiram apenas usa-la por todos os buracos.” para machos que curtam amarrar a ninfeta e usa-la a vontade totalmente indefesa e submissa!!
sera servido um banquete de buracos buceta cu e boca para usar a vontade em grupo!
preferencia a machos sujos sadistas que curtam mijar cuspir e humilhar uma gata !


e-mail marcoscorno@bol.com.br


mandarei fotos aos interessados contato inicial somente por -email

Juliana de Oliveira Almeida disse...

Perfeito texo...

Anônimo disse...

Não existe na terra alma mais linda do que da mulher submissa. Vê la de joelhos com aquele olhar rendido inebria a alma do dominador. Dom Marques me ligue submissas de São Paulo.11 98686 4392