11 de abr de 2014

Ponto de equilíbrio



A reflexão da vez pede uma escrita daquelas minhas, simples, sem prolixidades, sem floreios, apenas transformando vivências em troca de aprendizados, por meio de uma singela narrativa…

Não é fácil acertar o ponto de equilíbrio nos primórdios de uma relação, surgem incertezas, inseguranças, desconfianças, até normais, de ambos os lados.

São dois S/seres completamente diferentes, darão as mãos  para trilhar uma caminhada igual apenas, no mesmo Ideal. Para um mesmo Ideal. Ideal de Dominação e submissão, rezado pela cartilha Dele, somente a Dele.

O Caminho será  prazeroso, mui prazeroso. Porém com altas doses de dificuldades.

Mais difícil ainda quando a escrava toda altiva sobre sua extraordinária condição de ‘submissa exemplar’ não consegue atingir ás expectativas esperadas. Principalmente,  quando sua ansiedade e suas ‘urgências’ pedem licença, aos ‘berros’….snifff

Sem contar a danada, injusta e perigosa  impulsividade  dar as caras num misto de suposições infundadas, enxurradas de achismos, ‘coragens absurdas’, palavras inoportunas, choramingos fora de hora e até reações abusivas .

Pontualmente aqui, o Dom  com toda a paciência, bondade, prática e coerência, por meio, de uma ‘chamadinha generosa’, que deixa qualquer spanking no chinelo….uiiiiii.....afff…...como dói….escutem só os ossinhos se quebrando…trrrrreeeeeccc…..snifffff,  traz a desavisada submissa a razão.

Pois bem, o arrependimento, a vergonha, a sensação de agonia,  remetem  a escrava para um estado de insignificância intenso.

Contudo, mesmo com toda a dorzinha moral que sente, a escrava submissa se sente amparada e cuidada. Sente-se Posse.

Feliz e realizada ela sabe que a atitude dele é necessária para o  seu desenvolvimento, o seu crescimento, como Sua propriedade.  Ciente e honrada do papel assumido, escrava submissa nas algemas Dele, por livre e feliz escolha. Regozija-se por ter um Dono que gosta, cuida e sabe Dominar. E , é atento para a estabilidade do ponto de equilíbrio da R/relação....*pisc

ternura εïз
submissa, SP

4 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

ternura, vc tocou num ponto importante e por isso essa postagem não poderia esperar: o equilíbrio.
Todo começo de relação é complicado, é preciso aparar as arestas, conhecer o outro, adaptarem-se.
E em nossas relações isso se faz ainda mais necessário pela forma e intensidade com que são tocados o corpo, a mente, a alma.
É preciso dedicação e paciência de ambos os lados (pq apesar da hierarquia uma pessoa sozinha não constrói uma relação) e o que acontece é que as pessoas não estão tendo essa paciência de buscar o equilíbrio, estão desistindo na primeira dificuldade.

Parabéns, muita boa a reflexão.

Vivviane_sub disse...

Tenho acompanhado esse lindo blog, o equilíbrio é fundamental tanto do casal como individual para uma relação dar certo.

ternura disse...

@vita e @Viwiane:

O equilíbrio sempre depende de dois pesos e duas medidas....

aqui no nosso Universo, bem sabemos que, D/duas pessoas são responsáveis e essenciais para o sucesso ou fracasso desse equilíbrio...*pisc


@Amar e @vita

Obrigada por permitirem minha humilde participação neste espaço de gdes aprendizados !!

bjs


luah negra_propriedade de DOM JH disse...

Equilíbrio , senão a maior , uma de nossas maiores dificuldade é encontrá-lo.
Por depender de fatores como ansiedade , expectativas e outros , é grande a dificuldade de nos mantermos na corda bamba em que tentamos nos equilibrar .
Encontrar e manter esse equilíbrio é um exercício a ser praticado por cada um , e A/ambos em prol da relação .
Bela reflexão a tua .
Beijos ,
luah negra_JH.