2 de abr de 2014

Atravessando o Portal



Com toda abertura que o BDSM vem tendo, é cada vez mais comum ver pessoas chegando com pouca ou nenhuma informação, imaginando que basta atravessar o portal BDSM ele se descortinará lindamente e revelará um paraíso de prazeres . 
Chega-se aqui com desejos de submissão e pensamentos baunilhas . E, então descobre-se que as antigas certezas não servem mais, elas simplesmente não se enquadram nessa nova realidade . . 
Muitas são as dúvidas e questionamentos e poucas são as respostas .
A submissão seduz facilmente, ela envolve, encanta, arrebata ! E isso, somado à percepção ainda superficial que se tem ao chegar, pode criar o cenário perfeito para um sonho de Verão .
Bom, sonhos todos temos, mas não se vive apenas deles, há de se acordar para a realidade da vida, sempre é tempo de por os pés no chão e tirar a cabeça das nuvens.
E a realidade é que não há portal , nem paraíso tropical  e a travessia é um longo caminho de aprendizados!
Não há um pozinho mágico que transforme mulheres em submissas despojadas instantaneamente. 
Nada acontece sem a consciência de desapegar-se dos velhos conceitos, antigas certezas e ultrapassadas convicções e nada se mantém sem que esse entendimento seja exercitado diariamente. 
Todo avanço nessa escalada é fruto de muita dedicação e comprometimento com as escolhas feitas, nada nos é servido de bandeja.
Autocontrole não é um super poder que algumas submissas simplesmente têm e outras não, só tem quem trabalha para alcançá-lo, só encontra resignação quem busca por ela... E o ponto principal é que apenas se submete aquele que se disponibiliza a fazê-lo! 
Não é fácil administrar conflitos internos, não é fácil conter arroubos de emoções e sentimentos, não é fácil calar quando a vontade é de gritar... não é fácil alcançar um entendimento para estar bem e segura de ter feito a escolha certa. 
Entretanto, ninguém é obrigado a entregar o controle de suas vontades, emoções e prazeres nas mãos de outra pessoa, submete-se quem quer ou traz esse desejo dentro de si. 
Nada é fácil na entrega, mas, com comprometimento, persistência, muito pode ser superado e alcançado, é imensamente prazeroso perceber-se nessa evolução!

luah negra
escrava, RJ

10 comentários:

{Λїtą}_ŞT disse...

A submissão é realmente sedutora. A ideia de ter um Dono que cuida, protege, orienta povoa o imaginário das mulheres de todas as idades que aparecem todos os dias procurando viver o sonho da submissão, principalmente depois de lerem os romances apimentados pelas práticas SM que vão surgindo nas prateleiras das livrarias.
Mas a realidade é diferente da ficção. Há o encantamento mas há o sacrifício, o aprendizado, a reformulação de conceitos, a metamorfose, o despir-se de todos os ranços das relações baunilhas, a purificação dos sentimentos, o controle dos atos, a busca do equilíbrio, a pergunta essencial que deve ser repetida sempre: eu quero realmente isso?
Para respondê-la é preciso conhecer, informar-se, inteirar-se... não apenas sair procurando um Dono sem ter a mínima ideia do que seja servir. E contaminar o meio com essas ideias trazidas lá de fora e que não se aplicam aqui.
A submissão é uma vivência única, especial, libertadora e transformadora para quem se dispõe a isso... mas é preciso muito trabalho, muita dedicação e paciência.
Parabéns pelo seu texto que chama a atenção para essa realidade, linda, mas muito distante do mundo dos sonhos.

Beijos

luara disse...

Verdade , vita...
Você me conhece , sabe da trajetória de luara e um pouco , também de luah negra , conheci o BDSM pouco antes dos tons acinzentados que ele adquiriu , porém , já durante essa fase de grande abertura .

Bom , meu texto é mais um depoimento de que um texto propriamente dito . Como não-veterana que sou , achei que seria interessante mostrar que o ideal é chegar já muito bem informada , mas mesmo não chegando é perfeitamente possível se enquadrar nessa nova realidade sem precisar subverter a ordem instituída .

Ora , se foi na submissão que me encontrei desde o início , então por que vou querer mudar algo que gosto tanto ? A questão é bem essa , eu gosto da submissão exatamente como ela é , por isso não busco mudá-la , mas sim estar cada vez mais inserida nela .
E me pergunto ; se não querem o ônus , então por que optar pela submissão , e não por algo no qual se enquadrem mais facilmente ? Seria pelo status , glamour , modismo ?
O BDSM abraça a todos , são tantas as opções , tantos fetiches , seria fácil se enquadrar em algum deles , mas não teria a mesma pompa do dizer-se submissa .

Contudo que a minha submissão está há quilômetros de distância da sua , da Amar e , também das outras meninas e , provavelmente , não chegará a tanto , ainda assim , vi e vivenciei situações que me conferem algum entendimento e me permitem estar bem direcionada e comprometida com a escolha que fiz . Isso , sem esquecer que encontrei pessoas que fizeram toda a diferença nessa caminhada .
Mas não sou exemplo para ninguém , sou apenas eu , meus entendimentos e desentendimentos , também .
Beijos e obrigada pela oportunidade de estar aqui , trocando experiências e energias positivas com vocês .
luara .

Amar Yasmine disse...

luara, querida luara!

Você me fez voltar a 1998, quando uma noite entrei, totalmente por acaso, em salas abertas por assinantes do uol e vi lá uma série de chats, dos mais inocentes aos mais devassos... e o que me fez arrepiar e querer entrar imediatamente era justamente o de *escravas e submissas*... *com os olhos cheios de lágrimas aqui*

E foi lá que vi um enorme, belo, também assustador, portal... e não pude resistir a me manter do lado de fora. Naquele momento eu já sabia que seria um portal só de entrada... graças a Deus.
Seu texto me fez relembrar e chorar de emoção.

Peço que perdoe a indelicadeza da minha demora pra vir aqui. miVitAmada sabe a confusão que tenho vivido nos últimos dias.

Em tempo, parabéns pela bela coleira, considere-se feliz!
Beijos, xará (Amar = Lua), e muito obrigada pela participação. Faça isso sempre, por favor.

Amar Yasmine

Perséfone Core disse...

Quando chegamos no mundo, é pelo prazer, pela perversão, pela devassidão e vontades, pelas coisas que guardamos na nossa "parte obscura", não sei ao certo se é mesmo obscura, rsssss. Ninguém é santo, tampouco vítima.

Aí vem o aprendizado e as várias impressões. A consultas de sites e blogs, as conversas com outras pessoas que estão há mais tempo no caminho, o reconhecimento do que se quer e, a consciência da profundidade de sua escolha: ser submissa.

Depois, aparece o Dominador - ou Ele pode aparecer antes, como no meu caso...a busca do meu reconhecer e por aprendizado, se deve a Ele - o Dono que vai caminhar com a gente na vivência/prática.

Acredito que só depois disso tudo, atravessamos o portal, antes disso, estamos apenas admirando e se encantando com a porta enfeitada do mesmo.

A maioria ainda estão admirando a porta, imersos nas fantasias de livros e na mania de desejar tudo pronto. Como a rápida comida de um fast-food.

Adorei seu post Luara, vc esmiuça com delicadeza o caminho que traçamos...até atravessar (ou não) o portal.

Beijos!
{perséfone core}_DC


luara_propriedade de DOM JH disse...

Olá , xará !

Nossa , arrepiei aqui com a sua emoção ! Foi mesmo uma viagem no tempo .
Costumo dizer que foi o BDSM que me encontrou e eu me encontrei nele . Parece que já estava escrito submissa na minha testa , e ali abriu-se o portal . Embora muito receosa , resistir foi impossível !
E até hoje estou aqui , é realmente uma viagem sem volta , como se ele se fechasse atrás de nós .
Que bom que te trouxe boas lembranças .

Obrigada pelas felicitações e , também pela oportunidade de estar aqui , enriquecendo meus conhecimentos com vocês .
Sempre em tempo as tuas palavras , Amar ...grande beijo a ti .
luara_JH.

luara_propriedade de DOM JH disse...

Olá , Perséfone Core !

É exatamente como você disse...
O que nem todos entendem é que não basta entrar para se estar dentro .Há todo um caminho a ser percorrido .

Parece fácil , mas não é , e assim muitos ficam apenas no encantamento , sem conseguir fazer a travessia completa .

Não estão dentro e não estão fora , ficam vagando entre um mundo e outro .

No meu caso , veio primeiro o Dominador que me apontou o portal , só bem depois veio o DONO que me colocou dentro propriamente dito , e assim seguimos !

Você resumiu clara e objetivamente o que tentei colocar .

Obrigada pela presença !
Beijos ,
luara_JH .

Anônimo disse...

Luara,
Não poderia deixar de vir aqui lhe dizer que aplaudo seu texto e sua lucidez; sua paixão e realidade.
Você vê a entrega com toda a magia que ela nos traz, mas com os toques claros da realidade.
Eu venho aqui no blog pra me instruir e aprender e suas palavras contribuíram demais. Obrigada!
bjinhos
bia de MELBOR

luara_propriedade de DOM JH disse...

Olá , bia de MELBOR !
Eu que te agradeço por vir e deixar palavras de incentivo na minha contribuição .

Precisamos ser guerreiras na vida e mais ainda na submissão , também somos conscientes das responsabilidades e dificuldades nela encontradas . Ainda assim , sinto que é possível conservar parte do encanto e magia da submissão , sem que para isso se viva no mundo da fantasia .

Estou aqui , também para aprender , vou me adaptando , crescendo e me afirmando sempre mais no propósito do bem servir , e essa convivência aqui vem sendo muito enriquecedora .
Obrigada pela presença carinhosa , também pela contribuição .
Beijos ,
luara_JH .

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Verdade, o caminho da submissão é negro, mas pode ficar colorido...
Mas é preciso entender e aprender, à duras penas, que para se chegar ao colorido, teremos que passar pelo cinza, pelo branco, pelo bege, até chegar no roxo - álias essa cor é deliciosa - no rosa, no azul, no vermelho, etc., tendo sempre em mente, que do vermelho passa-se ao preto num segundo...

Mas eu preciso e adoro viver todas essas cores com e pelo meu Dono, não consigo mais ficar sem andar por elas...rs

Beijos carinhosos à todas,

ÍsisdoJUN

luah negra_propriedade de DOM JH disse...

Pois é ÍsisdoJUN , a submissão é a paleta e nós a tela , que vai recebendo as cores , os tons de acordo com as fases , os momentos e, principalmente , de acordo com a vontade Deles .
E não não escolhemos as cores que nos serão depositadas , absorve à todas e nos tornamos criaturas tal e qual o desejo do nosso Criador .

Eu já tentei ficar longe dessa paleta de emoções e não consegui , hoje , porém , busco aproveitá-la mais e melhor .

Obrigada pela participação , palavras sempre oportunas as tuas .

Beijos ,
luah negra_JH.