20 de mar de 2014

Sub-Missão



Nas redes sociais frequentadas pelos praticantes de BDSM muito se discute sobre os deveres do Dono. 
Ele tem o dever de cuidar, lapidar, adestrar, valorizar, assistir, ajudar a transpor limites, orientar, compreender, ouvir, proteger, ensinar e nunca, jamais errar. Deve ser sempre o ser supremo que guia a submissa rumo aos caminhos da felicidade plena. 



E os deveres da submissa, sua missão? 

É comum lermos nos perfis recém criados a frase "Quero um Dono que cuide de mim, que me respeite, que me oriente, que valorize minha submissão, que me trate como sua joia mais preciosa, que não ultrapasse meus limites, que seja leal, que nunca minta, que tenha caráter, que seja sábio, forte, coerente..." se nossos olhos procurarem mais adiante o que aquela submissa está disposta a oferecer, raramente encontraremos. 
A busca da submissa pela dominação de alguém deve estar focada em sua própria vontade de servir. No que ela tem de melhor e está disposta a oferecer em primeiro lugar. 
É essa vontade que a move, que a leva a estar aos pés de alguém. 
Fazer uma lista interminável do que espera de um provável Dono - que geralmente deve ser perfeito aos olhos dela - não é muito produtivo nem para a busca nem para suprir os próprios anseios. E é caminho certo para a decepção. 


Dominadores não são perfeitos. Têm defeitos e erram como quaisquer seres humanos. É preciso uma dose extra de boa vontade e de real desejo de servir para dobrar os joelhos diante do imperfeito, afinal, servir à perfeição não constitui mérito ou virtude. 
E por isso devemos aceitar qualquer um e qualquer coisa? Não, mas devemos ter em mente que aquele ser que escolhemos servir vai errar em algum momento, vai ser injusto, vai perder a mão porque Ele não tem todas as respostas, não é o detentor de todo o saber e também vai fraquejar. 
E, nessa hora, é preciso contar com a super-sub-missão, com a capacidade de enfrentar o desafio de aceitar a porção humana do outro, confiar que Ele saberá dar a volta por cima e se possível, ajudá-lo nisso sem sair do lugar a seus pés. 
Este sim é um grande limite a ser transposto, a superação diante das imperfeições do Dono, aceitar que Ele é um ser humano e tem deveres mas tem também o direito de errar, como qualquer um(a) de nós.

{Λїtą}_ŞT
escrava, Rio de Janeiro RJ


11 comentários:

ternura disse...

olá minha querida,

que bom que escreveu...passeia muito serena entre as palavras.......Belíssima postagem!!!

Bem, não posso falar das outras, mas minha missão é, sem sombra de dúvidas, servir ao Dom que habita o Homem....Este com todos os 'defeitos', 'impurezas' da vida humana....

Me entristece a imposição de supremacia sobre o Dom, assim como, me entristece o esquecimento dos deveres servis da submissa....

Ou seja, estar a disposição de, ter orgulho em pertencer e muita honra, em caminhar J/juntos respeitando a verdadeira hierarquia desta vivência......a D/s.

Tendo sempre em mente que servimos um ser vivo, passível de erros, com defeitos e qualidades que vão muito, muito aquém de nossas vontades. E, nunca nos deixar esquecer que servimos por livre, consciente e feliz escolha....

bjs de carinho e parabenizados pelo txto

Amar Yasmine disse...

miVitAmada!

Que texto maravilhoso!
Me lembrou "Dos Deveres", do filósofo Cícero. No nosso caso, obrigações que só devem gerar prazer, senão não terá nenhum sentido.
Pena que muitos submissos só estejam nesta posição pelo "glamour" e jamais experimentarão a verdadeira alegria de servir... e o prazer que vem desta nossa super-sub-missão.
Parabéns pelo texto!!
Beijos,

Amar Yasmine

{Λїtą}_ŞT disse...

Queridas @ternura e @Amar Yasmine,

o texto nem é sobre algo inédito, que nunca tenha sido dito ou debatido mas é uma reflexão sobre essa busca inglória da perfeição e os verdadeiros objetivos desta.
"Busco pq quero realmente servir? É este meu real desejo? O que tenho, então, a oferecer?"... quando nos discursos e perfis o que mais se conclui ao ler é que a prioridade é descobrir "o que o outro tem para me dar em troca da minha preciosa submissão"...
Toda submissão é preciosa sim, mais preciosa ainda quando está focada em si própria e não tanto no que o outro possa dar em troca... a submissão calcada nisso não é generosa, não é doação, não é complacente e não admite que o outro seja humano e às vezes também erre.
Obrigada, meninas queridas.

Beijos de {Λїtą}_ŞT

ÜмbЯǺ_ disse...

Irei falar apenas por mim...
eu no inicio da minha caminhada no BDSM,confesso que desejei ter como Dominador,Alguem perfeito!
Pois a sê-lo,me educaria,moldaria de forma sublime...PERFEITA!!
E eu seria A submissa perfeita!!
Pfff... como eu estava enganada.
É na imperfeição do nosso Dono que somos perfeitas!!

É diante dos erros Dele,que somos exemplares.
Exemplares na forma como nos comportamos,estamos...nos submetemos.
Hoje sinto-me mais submissa ,que ontem. Pois aprendi e apreendi que a minha submissão a Ele é algo que me está na Alma.
Não é forçada,não imposta.
É simplesmente...doada.

Beijos doces a todas

{Λїtą}_ŞT disse...

Querida @umbra, vc realmente disse tudo o que eu gostaria de dizer no texto em poucas palavras.

"É na imperfeição do nosso Dono que somos perfeitas!!
É diante dos erros Dele,que somos exemplares.
Exemplares na forma como nos comportamos,estamos...nos submetemos."


Perfeito.
Agradecida pela sua preciosa contribuição.

Beijos

luara disse...

Olá , vita querida !
É interessante como pode ser tão difícil alcançar a compreensão e aceitação do óbvio ; somos todos falhos . Dominadores são tão humanos quanto todos nós e , portanto , igualmente falhos . Aceitar o fato nos deixa mais próximas do objetivo de bem servir .
Vivendo e aprendendo com quem sabe !
Parabéns pelo texto e reabertura do blog , sucesso nessa empreitada .
Beijos ,
luara .

{Λїtą}_ŞT disse...

Obrigada por contar com sua coerência de sempre, @luara. Não é à toa que sempre nos demos bem.

"Aceitar o fato nos deixa mais próximas do objetivo de bem servir"

Esta frase sua sintetiza bem tudo o que eu disse. Algumas pessoas ficam buscando a perfeição e sendo humanos não há nada de errado nisso, todos queremos mas devemos saber que não existe e que essa busca nos afasta de encontrar alguém de verdade, com qualidades e defeitos como nós mesmas.

Beijos e muito obrigada pela preciosa presença

Perséfone Core disse...

Vitinha tudo segue uma lógica simples que vc escreveu: se desejo O melhor, procurarei ser também um ser humano melhor. Se sou imperfeita, aceitarei a imperfeição, não como algo negativo, mas como possibilidade de galgar meu próprio crescimento.

Perfeito vitinha, perfeito!!!
Amando tudo isso!

Beijos!
{perséfone core}_DC

{Λїtą}_ŞT disse...

Bem isso, pe. É uma reflexão que devemos fazer sempre.
Se estou buscando alguém que seja o meu ideal, estarei eu tb trabalhando um ideal em torno de mim mesma?
Obrigada pela preciosa participação.

Beijos

Anônimo disse...

Vita,
Love of my life,
Você tem o poder de me deixar com a respiração suspensa!
Li tudinho e fui absorvendo as ideias com avidez.
As entrelinhas do seu texto me trouxeram à mente uma palavra: Foco!
Ser submissa na horas fáceis, ser submissa no prazer, ser submissa por amor ao Dono, ser submissa de um dominador perfeito e poderoso: lindo! Mas a verdadeira prova, de fato não reside na perfeição.
Ser submissa apesar do pesares requer foco na própria submissão. Isso é um exercício diário e árduo, diga-se de passagem.
É tão bom ler e aprender. Obrigada!
Bjinhos,
bia de MELBOR

{Λїtą}_ŞT disse...

"Ser submissa apesar do pesares requer foco na própria submissão. Isso é um exercício diário e árduo, diga-se de passagem."

Lindíssima bia de MELBOR, a frase acima, escrita por vc, encerra tudo que eu quis dizer em poucas palavras.
É exatamente esse foco que deve, no momento da busca, estar em nós mesmas, na nossa vontade, na necessidade de servir pq nos alegra, nos faz bem, nos faz viver... é o que nos leva a sermos felizes com nossa condição.
Se o foco estiver no que aquele a quem vamos servir pode nos proporcionar, seremos infelizes... a perfeição não existe, o que existe é a busca do aprimoramento e de ambos os lados... mas isso é assunto para outro post.

Beijos agradecidos